Existe esperança no mundo da alimentação

Postado por:
 
Categoria: Lifestyle Saúde

Se você tem lido minha coluna na La Marcon até aqui, provavelmente é porque teve algum grau de identificação. É provável que você desconfie de todas essas verdades prontas que aparecem a todo momento em jornais, redes sociais, canais de TVs…. e que, invariavelmente, algum tempo depois são reveladas como sendo mitos, exageros, etc.

Se for assim, tenho um sinal forte de que você está num caminho de aculturamento alimentar, minha meta é que você reconheça que ninguém melhor do que você mesmo pode cuidar de sua saúde através da sua alimentação. Não existem dietas prontas que servirão para todos as pessoas. Se sua amiga perdeu peso e está se sentindo fantástica seguindo um determinado protocolo, isso não significa que você terá os mesmos resultados que ela seguindo o mesmo caminho.

Individualidade na elaboração de dietas tem que ser o ponto chave de um bom profissional nutricionista. Cada vez mais daqui em diante, essa individualidade passará por exames genéticos… esses sim capazes de “prever” alguns tipos de alimentos e dietas que poderão ter melhor resultado para os seus genes e, consequentemente, para o seu corpo. Pretendo falar mais sobre isso, em próximas colunas.

Para reforçar esse caminho de autoconhecimento e de empoderamento da sua saúde, sugiro que você assista 02 séries documentais que estão disponíveis gratuitamente no Netflix:

– Cooked, lançada em 2016

E

– Rotten, lançada neste ano

Os 04 episódios do extraordinário documentário “Cooked”: Fogo, Água, Ar e Terra mostram tudo o que interessa e o que devemos saber sobre fundamento da comida de verdade, mostrado lindamente na tela, na visão de Michael Pollan que é um jornalista e escritor americano, com grande ativismo na área da “Alimentação de verdade”.

Já o documentário “Rotten” faz um mergulho na cadeia de produção dos alimentos mostrando verdades amargas e expondo forças ocultas que definem o que comemos. Até mesmo pessoas estudiosas de alimentação há anos, como eu, se surpreenderão com os bastidores da indústria alimentícia. São 06 episódios com os seguintes temas: Mel, alergia a amendoim, alho, indústria de granja (Aí temos o “desprazer” de assistir uma personagem brasileira ilustre – a JBS – manchando ainda mais a reputação brasileira, dessa vez na criação de carne de frango nos USA.), indústria de laticínios (Aí também com participação brasileira, para nossa tristeza) e bacalhau.

 

Como o Rotten nos leva a uma sensação mais melancólica, minha sugestão é que você assista um episódio dele, entremeando com um episódio de Cooked, que nos traz alegria e esperança neste mundo cruel.

 

E pra finalizar com esse ar esperançoso, segue um trecho pronunciado pelo Michael Pollan, autor da série “Cooked”, no episódio “Terra”:10

“Cozinhar ou não cozinhar é uma questão secundária. Eu sei que isso é direto demais.

Cozinhar tem um significado diferente, em épocas diferentes e para gente diferente.

Não costuma ser algo radical.

Mesmo assim, até cozinhar somente em algumas noites, dedicar o domingo a preparar refeições para a semana ou talvez esforçar-se de vez em quando pra produzir algo que só experimentaria comprando…

… Mesmo estes atos modestos constituirão uma espécie de voto.

Em um mundo onde tão poucos de nós são obrigados a cozinhar, optar por fazê-lo é um protesto à especialização.

É um voto contra a total racionalização da vida.

Contra a infiltração do interesse comercial em todas as esferas de nossas vidas.

Cozinhar pelo prazer de fazê-lo, dedicar uma parte de nosso tempo a isso é declarar a nossa independência das corporações que querem dirigir cada momento de nossas vidas para mais uma ocasião de consumo.

Cozinhar tem mais do que o poder de transformar plantas e animais.

Descobri que cozinhar nos dá a rara oportunidade na vida moderna de trabalhar diretamente em nosso sustento e no das pessoas que alimentamos.

Nos cálculos da economia, fazer isso talvez não seja o uso mais eficiente do seu tempo, mas mesmo assim é bonito. Você acha que existe hábito menos egoísta, trabalho menos alienado, tempo menos desperdiçado, que preparar algo delicioso para nutrir as pessoas que você ama?”

Comentários

comentários

Posts Relacionados